nta da

Galp Energia

Caneças - a Água e as Fontes

Falar de Caneças,
é relembrar um passado ligado à exploração aguadeira.

Fonte dos CastanheirosAs suas "águas límpidas, incolores e inodoras, de sabor férreo, e de temperatura inferior à da atmosfera", eram recomendadas no tratamento de anemias e na convalescença de outras enfermidades. Estas qualidades da água em Caneças, foram divulgadas no Jornal da Sociedade Farmacêutica Lusitana, no ano de 1842. Também o Dr. Ascensão Contreiras faz referência à composição da água de Caneças, por ser favorável ao tratamento das doenças do estômago e intestinos, em "Relação Alfabética das Águas Medicinais Portuguesas".

Desde tempos remotos que os habitantes da povoação de Caneças enchiam de água as típicas bilhas de barro e as faziam transportar até à capital, que nesse tempo sofria de enormes carências do precioso líquido, existindo referências desta actividade desde finais do Séc. XIX.
Fonte de Castelo de Vide
Assim, sobre o dorso dos animais, em carroças ou galeras e, posteriormente, em camionetas, inicialmente movidas a gás e depois usando combustível líquido, o transporte e comércio aguadeiro foi crescendo, tornando-se uma das actividades económicas mais importantes para os habitantes de Caneças, mas também para a autarquia local, com as receitas da venda do selo metálico obrigatório, com o cunho da fonte onde enchiam as suas bilhas de água. O comércio da água era portanto acompanhado  pelas autarquias - freguesia e município - garantindo desse modo a qualidade do produto e o cumprimento das elementares regras comerciais.
Fonte das Piçarras
Por ocasião da "Exposição do Mundo Português", em Junho de 1940, as Águas de Caneças fizeram-se representar com um carro alegórico, participando no cortejo nacional que desfilou pela baixa lisboeta.

As fontes das Fontainhas, dos Castanheiros, dos Passarinhos, da Quinta de Castelo de Vide, das Piçarras e do Ouro são, hoje ainda, testemunhos de uma actividade florescente que, com o correr dos tempos foi definhando, por não conseguir acompanhar as mudanças tecnoclógicas e a alteração de hábitos de mercado, que foram sendo registadas neste tipo de actividade.
Fonte das Fontainhas
Das que foram referidas anteriormente  apenas as das Fontainhas e do Ouro, são do domínio público e a sua manuntenção está a cargo da Freguesia de Caneças. Apesar dos esfoços desenvolvidos a água que brota da suas bicas perdeu muita da qualidade original e os seus caudais são insuficientes para o aproveitamento comercial.

As outras, de propriedade privada, apresentam estilos arquitectónicos distintos, ao gosto do seus proprietários e com pormenores de rara beleza, aliados a um enquadramento paisagistico bucólico, convidativo à calma e ao lazer.
Fonte dos Passarinhos


Caneças


origem do nome

a água e as fontes

as lavadeiras

galeria

© 2009/2010 Ti Saloia, Lda.